Postagens

LIVRO O Saber-Fazer do Professor-Arquiteto vazados, traçados tramados equatropicais

Imagem
  Após a defesa de professor titular da FAU-ITEC-UFPA, o professor Ronaldo Marques de Carvalho lança seu Memorial editado pela Folheando. Dessa forma, detalhando mais sua trajetória com mais de 50 anos, o livro é dividido em 2 partes: a primeira descreve sua formação acadêmica e titulação e a segunda dividida, assim como em sua defesa, em 5 capítulos. A obra consta com o prefácio do José Alberto Tostes, aluno exemplar do professor Ronaldo e hoje, docente da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP) e, em suas gentis palavras, Tostes fala sobre a influência  de Ronaldo em sua vida acadêmica como orientador de seu TCC e como após este evento o inspirou para buscar a criação do Curso de Arquitetura e Urbanismo da UNIFAP.  Ressalta-se a importância de haver obras o quais tratem sobre a trajetória dos arquitetos paraenses, pois falar de suas vidas é relatar história do curso de Arquitetura e Urbanismo da UFPA, da Arquitetura Regionalista e da Arquitetura Paraense. O Laboratório de Memória e Pa

A experiência imagética na arquitetura “Raio que o parta”

Imagem
 O artigo publicado na Revista 5% Arquitetura + Arte, de 2022, aborda um dos resultados da pesquisa da doutoranda Laura da Costa , orientada pela professora Cybelle Miranda. Assim, analisando 3 exemplares de casas situadas nas cidades de Belém e Abaetetuba, ambas no Estado do Pará, realizam um estudo imagético dos exemplares, além de expor a descaracterização da estética Raio que o Parta das edificações ao longo do tempo. Boa leitura!     Figura 1: Fachada da casa nº257. Fonte: MODESTO et al., 2013 Resumo: “Raio que o parta” (RPQ), em arquitetura, é um termo associado à manifestação estética concebida por engenheiros, mestres-de-obras e moradores que recriaram o modernismo nas residências de classe média e popular no Pará, diferenciando-se das demais assimilações do moderno no Brasil pelo emprego de mosaicos com desenhos de setas e raios, executados com cacos de azulejos nas platibandas. Face à perspectiva comumente difundida de que se tratou de um modernismo de fachada, posto

FRAGMENTOS DE UM COMPLEXO PAVILHONAR – OU SOBRE OS ELEMENTOS QUE PERMITEM RECONHECER A ARQUITETURA DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DO PARÁ COMO PATRIMÔNIO DA SAÚDE

Imagem
   O Artigo "Fragmentos de um Complexo de Pavilhonar - ou Sobre os Elementos que Permitem Reconhecer a Arquitetura da Santa Casa de Misericórdia do Pará como Patrimônio da Saúde" de autoria de Cybelle Salvador Miranda (Professora PPGAU/UFPA) divulgado no IV Seminário Internacional "Historia de la Arquitectura Hospitalaria", eixo temático 3: Nuevos enfoques de valoración, integración territorial, institucional y disciplinar, páginas 534 à 550, de 2020. Este artigo se embasou na pesquisa iconográfica e histórica com o objetivo de caracterizar o complexo como parte de um arquitetura integrante do patrimônio cultural da saúde, a fim de subsidiar um pedido de tombamento. Boa Leitura!.  Resumo: O hospital da Santa Casa de Misericórdia do Pará ainda hoje é referência no atendimento à população de todo o estado, tendo sido construído em 1900, no bairro do Umarizal, área central da Capital, Belém. Nos postais de época veem-se os pavilhões originais, orgulho de uma cidade rem

Defesa de Memorial para Professor Titular de Ronaldo Marques de Carvalho no Instituto de Tecnologia da UFPA

Imagem
  Dia 24 de fevereiro de 2022, o professor Ronaldo Nonato Ferreira Marques de Carvalho realizou a defesa de professor titular da FAU-ITEC-UFPA. Com mais de 50 anos de ensino, pesquisa e extensão, Ronaldo relembra sua trajetória evidenciando suas principais conquistas ao longo de sua carreira, dividida em 5 capítulos e, ao final, seguem-se os comentários de seu ex aluno José Alberto Tostes, professor da UNIFAP. Confira os videos no Youtube do Lamemo, curta e comente.      O Laboratório de Memória e Patrimônio Cultural (LAMEMO) felicita o professor Ronaldo por essa conquista! Clique no nome do vídeo para poder acessá-lo. Capítulo 1. Capítulo 2. Capítulo 3. Capítulo 4. Capítulo 5. Comentários do professor Tostes.

LIVRO Arquitetura Amazônica: Tradição, Tradução e Inovação

Imagem
O LAMEMO lança seu novo livro  em versão e-book "Arquitetura Amazônica: Tradição, Tradução e Inovação",  organizado pelos professores Cybelle Salvador Miranda (PPGAU/UFPA), Dinah Reiko Tutyia (UNIFAP) e Ronaldo Marques de Carvalho (FAU/UFPA). O livro contém 12 artigos, divididos em 3 eixos principais que são Tradição, Tradução e Inovação, com o intuito de evidenciar a pesquisa, registro e análise da produção e patrimônio da arquitetura amazônica no estado do Pará e do Amapá. Boa Leitura! Figura 1: Capa do livro com arte da professora Cybelle Miranda.   Apresentação: Ao longo de 12 anos, o Laboratório de Memória e Patrimônio Cultural vem sendo o espaço físico e intelectual de pesquisas, nos diversos níveis de formação, abrangendo graduandos que desenvolvem trabalhos de conclusão de curso, de iniciação científica e extensão, bem como mestrandos e, mais recentemente, doutorandos. Deste processo, articulado a partir de 2010 com o Programa de Pós-graduação em Arquitetura e U

O Uso da Oralidade no (Re)Conhecimento da Paisagem do Centro Histórico de Belém (PA)

Imagem
    O artigo "O Uso da Oralidade no (Re)Conhecimento da Paisagem do Centro Histórico de Belém (PA)" de autoria de Dinah Tutyia (Professora UNIFAP e doutoranda PPHIST/UFPA) e Cybelle Miranda (Professora PPGAU/UFPA) foi publicado no 16º Anais do Seminário História da Cidade e do Urbanismo (SHCU), eixo temático 4: Cidades, Memórias e Arquivos, páginas 1318 à 1335, de 2021. Este artigo utiliza-se do método de pesquisa etnográfico e da oralidade para apreender a memória coletiva dos moradores e comerciantes da rua Dr. Assis, no bairro da Cidade Velha. Rua esta que foi escolhida como objeto de estudo pelo seu uso comercial, uso que entra em conflito com os aspectos materiais de preservação do edifício, logo foi considerada a mais descaracterizada no bairro histórico. Boa leitura!     Figura 1: Imagem mostrada para dona Maria Castro. O conjunto de edificações de uso habitacional existentes no final dos anos 70. Fonte: FRAZÃO, 1979.     Figura 2: Imagem do trecho da Rua Dr. Assis o

Praça do Carmo - Proposta Paisagística para o Espaço Público

Imagem
A Monografia foi produzida para a conclusão do curso de Especialização em Interpretação, Conservação e Revitalização do Patrimônio Artístico de Antônio José Landi, com autoria da Arqtª Carla Albuquerque e orientada pela Profª Cybelle Miranda (professora PPGAU/UFPA) no ano de 2008. O objetivo é de propor uma intervenção arquitetônica e paisagística em um patrimônio urbano paisagístico para valorizar a memória local e preservar a história do espaço. Figura 1. Praça do Carma por volta de 1990 mostrando o antigo coreto em guarda-corpo em madeira; Fonte Inventário da Fundação Cultural do Município de Belém (FUMBEL). Resumo: O trabalho propõe estudos sobre o surgimento e evolução urbana além de sugerir uma proposta paisagística para a Praça do Carmo. Este espaço passou por inúmeras intervenções em toda a sua história, que nos três primeiros séculos, deixou de ser um espaço amplo, sem barreiras físicas e sem desníveis de solo. A proposta de intervenção na Praça do Carmo pretende adequar