Postagens

O Barros Barreto como testemunho científico

Imagem
A assistência à saúde tem estado em destaque nos últimos meses e intimamente relacionada à este âmbito está a arquitetura hospitalar. Em Belém, destaca-se o histórico Hospital Barros Barreto, que nasceu como sanatório e gradativamente fora transformado em hospital de alta complexidade. O artigo escrito pelas autoras mestranda Larissa Leal (PPGAU-UFPA) e  professora Cybelle Miranda (UFPA), publicado na edição 29 da Revista CPC traz uma reflexão a respeito da arquitetura assistencial como patrimônio, e destaca o antigo Sanatório Barreto como local provedor de desenvolvimento da ciência, seus elementos arquitetônicos e o ponto de vista daqueles que o construíram ao longo de seus 60 anos de existência. 



Resumo
A discussão a respeito do patrimônio cultural da saúde no Brasil tem se evidenciado nos últimos anos, principalmente a respeito dos desafios de valorização do patrimônio material e imaterial, dentre estes a arquitetura assistencial. O Hospital Universitário João de Barros Barreto (HUJ…

Patrimônio reconstruído: a Santa Casa de Manaus

Imagem
A edição XV, número 1 da Revista 19&20 aborda a temática da iconografia dentro do patrimônio, dessa forma o artigo escrito pelas autoras Camyla Torres (PPGAU-UFPA) e Cybelle Miranda (UFPA) se enquadrou com a (re)construção da Santa Casa Misericórdia de Manaus, através do acervo iconográfico e de jornais encontrados durante as pesquisas. Neste sentido, a memória documental é utilizada como base para a abordagem da arquitetura do prédio, que atualmente está abandonado e degradado, correndo o risco de cair no esquecimento. Assim, o trabalho também é uma forma de registrar todos os acontecimentos do bem e assim, levantar subsídios para considerá-lo, na prática (tendo em vista que o prédio já é tombado) como patrimônio da saúde de Manaus.  O artigo se enquadra na linha de pesquisa de Arquitetura Assistencial, desenvolvida pelo Laboratório de Memória e Patrimônio Cultural (LAMEMO-UFPA), bem como faz parte da dissertação de mestrado da discente Camyla Torres. 
Resumo: O artigo analisa a t…

SOLAR DO BARÃO DO GUAMÁ: uma manifestação da arquitetura classicista Imperial na cidade de Belém

Imagem
Ana Maria CruzBolsista de Iniciação científica do LAMEMO/UFPAEsta publicação visa divulgar o conhecimento sobre a arquitetura do classicismo imperial em Belém, por meio de um passeio virtual pelos interiores do antigo Solar do Barão do Guamá, atual sede da CODEM. A construção da maquete eletrônica resulta do plano de iniciação científica desenvolvido no período de 2019-2020 com bolsa do PIBIC/UFPA, sob orientação da Professora Cybelle Miranda, e faz parte da pesquisa A casa senhorial em Belém.Na segunda metade do século XIX, a arquitetura Classicista Imperial se manifesta com grande esplendor, sendo considerada como uma expressão de primeira grandeza, genuinamente brasileira. Assim como esteve presente no Nordeste e no Sudeste, ela também deixou suas marcas no Norte, mais especificamente em Belém, que naquela época era capital da província do Grão-Pará, e hoje capital do Estado do Pará.Assim, voltaremos a atenção para o Solar do Barão do Guamá, construído 1883 no contexto inicial do c…

Artesanias no tempo q parou

Imagem
O isolamento social vivido mundialmente devido à Covid-19 trouxe diversas consequências (nem sempre boas) para a realidade de muitos, entretanto, os professores da FAU-UFPA Cybelle Miranda e Ronaldo Carvalho apresentaram um catálogo composto por obras produzidas durante esse período em casa, demonstrando uma alternativa criativa para ocupar o tempo livre. Além dos dois professores, a organização do catálogo contou com a bolsista do LAMEMO-UFPA Ana Maria Cruz. No dia 13 de agosto a página oficial da UFPA publicou uma matéria a respeito da produção artística dos docentes, que vai além do Lattes (Matéria UFPA - Catálogo)
O material dá margens à imaginação e comunica o quanto podemos usar nosso tempo livre para produzir arte e utensílios a partir de objetos que seriam descartados, além disso, a produção manual requer paciência, virtude muito almejada nos tempos atuais.  A respeito das obras produzidas em casa e utilizadas para mudar o ambiente em que nós (isolados) passamos a maioria do temp…

A ASSISTÊNCIA DO HOSPITAL DA MISERICÓRDIA DE MANAUS EM TEMPOS DE EPIDEMIA

Imagem
Camyla Torres (Mestranda PPGAU/UFPA e bolsista FAPEAM)
Ao longo da história da humanidade, as várias epidemias ocorridas no mundo foram propiciadas pelo surgimento dos aglomerados populacionais, novas rotas de comércio, movimentos migratórios, dentre outros. Na distribuição espaço-temporal, as doenças e suas consequências mobilizaram grandes esforços para a implementação de ações médico sanitárias, sociais e econômicas, cujas consequências promoveram profundas transformações nas sociedades.
Desde o início de 2020 vivemos um momento específico e histórico por conta da pandemia do novo Coronavírus, a COVID-19, que segundo a Organização Mundial de Saúde – OMS, constitui-se em uma Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional, o mais alto nível de alerta, contaminando mais de 2.314.621 casos e 157.847 mortes, contabilizados até o dia 20 de abril de 2020. O Brasil, na mesma data, registrou 40.581 casos confirmados da COVID-19 e 2.845 mortes. 
Para se entender este cenário de pa…

BASÍLICA DE NAZARÉ: REFÚGIO, ISOLAMENTO, PATRIMÔNIO E (RE)CONHECIMENTO

Imagem
Wagner J. Ferreira da Costa

O isolamento social em Belém do Pará firmado pelo Governo do Estado desde final de Março do presente ano, na tentativa de amenizar os efeitos nocivos a população causados pelo Coronavírus (COVID-19), pôs em evidência o quanto a cidade que criamos nos assombra e, em contrapartida, permitiu que vislumbrássemos o papel do patrimônio da Basílica Santuário de Nazaré em meio a pandemia, enquanto “refúgio”, que se faz (re)conhecer nos tempos atuais, mesmo que demarcada por uma certa “invisibilidade visiva”, dada a poluição visual do bairro de Nazaré e/ou pela assimilação das formas existentes por parte dos indivíduos da localidade compondo seu cotidiano, e, portanto, como algo “comum”.
No seu livro “Paisagens urbanas”, publicação de 1996, Nelson Brissac Peixoto descortina a dimensão da cidade contemporânea como uma justaposição, um cruzamento de espaços e tempos distintos que convivem no mesmo cenário, passando desapercebidos quanto a sua complexidade, em virtude…

O SANATÓRIO PARAENSE E O ISOLAMENTO DOS DOENTES EM TEMPO DE EPIDEMIA

Imagem
Cybelle Salvador Miranda Larissa Silva Leal


No dia 20 de março de 2020, a página oficial da EBSERH, empresa que administra o Hospital Universitário João de Barros Barreto (HUJBB), publicou a notícia de que o hospital receberá pacientes infectados pela nova doença causada pelo Coronavírus, a COVID-19, responsável pela pandemia vivida atualmente. Diante deste fato, a evocação do histórico da instituição reitera o passado do HUJBB, marcado por epidemias desde o início de seu funcionamento, quando este ainda era o Sanatório Barros Barreto (SBB). 


Em fins da década de 20 do século passado, a tuberculose (conhecida também como Peste Branca) era responsável por mais da metade dos óbitos em todo o Brasil, sob a somativa de dois fatores: a situação sanitária das cidades brasileiras e a falta de instituições para tratamento da doença. Segundo Bertolli Filho (2001) a tuberculose, causada por uma bactéria (Mycobacterium tuberculosis) e também conhecida como bacilo de Koch, é uma doença infecto-co…